sábado, 12 de setembro de 2015

Um bebê para amar - Susan Kearney

"Ela não conseguia se lembrar...
Chelsea Connors acordou em uma cama de hospital, com um belo médico na cabeceira e nenhuma lembrança. Mas, enquanto seu cérebro estava vazio, seus braços estavam cheios... com um bebê inquieto que lhe disseram ser seu.
Ele não conseguia esquecer...
O Dr. Jeffrey Kendall havia jurado solenemente que manteria distância profissional de seus pacientes. Mas não conseguia se afastar dessa nova mamãe. Chelsea conquistara seu coração, e ele faria qualquer coisa para protegê-la e o bebê que ela nem ao menos conhecia". (Skoob)



Essa estória é Linda! Linda! Não tem aquela melação, sabe, mas muito mistério e romance. O bebê é um anjinho aventureiro que sorri, divertido, nos momentos mais inusitados! O médico e a mocinha são uns amores, ambos corajosos e inteligentes. Enquanto eles se apaixonam perdidamente, um assassino (a) executa seus planos...

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Cinder - Série As crônicas lunares - Marissa Meyer

Nessa estória, a escritora Meyer viaja no mundo da imaginação e nos apresenta uma Cinderela, parte humana e parte mecânica! Que imaginação fértil. Amei essa adaptação do conto e ainda pretendo ler os outros livros da série.


"Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série As Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído". (Skoob)

Continuação...


CINDERELA POP - Paula Pimenta

Descobri mais uma escritora brasileira que mostrou o seu talento! Li Cinderela Pop e fiquei com gostinho de "quero mais".

Como sou louca por estórias adaptadas de Cinderela, aceito outras indicações ;)


"Nesta versão estendida do super conto de Paula Pimenta no Livro das Princesas, Cinderela é reinventada. Cintia é uma princesa dos dias atuais: antenada, com opiniões próprias, decidida e adora música! Mas a garota vê seu cotidiano virar de cabeça para baixo depois da separação dos pais: vai morar com a tia, se afasta do pai e, principalmente, deixa de acreditar no amor. Até que um encontro inesperado e revelador a faz rever as próprias escolhas – havia mesmo um belo príncipe em sua história, e tudo que ele mais queria era descongelar o coração da nossa gata (nada) borralheira!". (Skoob)

sábado, 5 de setembro de 2015

Coração ferino - Deborah Simmons


"Coração ferino - Seu coração é amargurado, e ele não confia em ninguém".

"Trovoadas retumbavam e relâmpagos cortavam o céu quando a srta. Sydony Marchant chegou a sua nova e imponente mansão. Além de ser linda e inteligente, ela não se deixaria intimidar com facilidade pelo aspecto sombrio do lugar.

Entretanto, se a casa não a assustara, a chegada do visconde Hawthorne certamente o faria. No lugar do menino que ela outrora havia beijado, estava Bartholomew, um homem com um brilho implacável no olhar.

Ele estava ali para revelar uma verdade, e arruinar Sydony. Mas logo se viram rodeados por segredos mais sinistros do que poderiam imaginar. E, à medida que a tensão entre os dois ia se intensificava, a lembrança daquele beijo inocente passou a não ser mais o suficiente..." (Skoob)

Costumo não gostar dos romances de Harlequin, porque normalmente focam mais no romance erótico que em estórias curiosas e misteriosas. Mas "Coração Ferino" coloquei na lista dos meus favoritos! Fiquei tão curiosa com o mistério da mansão que não larguei o livro, enquanto não terminava de ler as últimas palavras. Mas entendo que cada um tem o seu gosto e o meu são livros com estórias curiosas e romance leve, nada muito meloso. Ainda sim, vibrei com os beijos surpreendentes do mocinho. 
Por vezes senti vontade de desferir uns tapas em Sydony por tamanha desconfiança, mas é compreensivo, visto que ela não estava por dentro dos pensamentos do mocinho como nós leitores. Por sua vez, Barto me lembrou Darcy de Orgulho e Preconceito, visto que era fechado e desprezava as adulações daqueles que se interessavam por ele devido ao seu título de visconde. Até chegou a desconfiar, a princípio, que Sydony poderia ser um deles. Mas logo ela mostrou à ele sua personalidade empertigada e corajosa. Além disso, gostei de conhecer um pouco sobre os druidas, ou supostos druidas, quem sabe... ;). Não é um tema que já li em outros romances. Agora estou curiosa para saber se há alguma estória sobre Kit, irmão de Sydnoy.